domingo, 22 de abril de 2012

O caminho da escola



(Poema publicado pela revista Derepente em setembro de 2011)
Sigo pela manhã vaga
Pela nevoa cinzenta
Me vendo sumir pela distancia
Pelo caminho de sapé
Entre arvores e pardais,

Vejo o pálido menino
Sumir no caminho da escola
E aparecer em minha face.

O menino de olhos verdes é sozinho
Pouco fala, pouco conversa
E quase ninguém o percebe.

O menino de olhos verdes
Sempre anda correndo
Sempre anda com medo

E poucos sabem, nem mesmo ele
Que um dia sua história todos conhecerão.


Lima de Vasconcelos

Nenhum comentário:

Postar um comentário