quinta-feira, 3 de maio de 2012

Poema sem resposta




Outra vez ruge fe-roz-men-te
Esse grito inalcançável e iná-tin-gí-vel
Ao qual chamamos de amor.
Antes o sentira, mais não com essa força,
e com essa sede de querer.
Nunca mais ouvira gritos tão pungentes,
Nem sentido essa dor
Essa ansiedade
E esse sofrer
Que só insiste em te querer.

Lima de Vasconcelos

Nenhum comentário:

Postar um comentário