quinta-feira, 19 de abril de 2012

A flor do desejo


Não! De amor não se morre
Morre-se da insana: a paixão
Quando as formas graciosas
Envolvem a bela ilusão,
Ao claro final do anoitecer
Que evola ao ultimo toque do dia.

Amor isso não é,
Tal amor nos faz apetecer o mármore
Tal amor deixa-nos no leito ermo da solidão,
Eis que inda iludido, um coração procura seu malfeitor
Inda que ferido, inda que enganado.

Um sorriso de anjo, um olhar quase ingênuo
Eis o bem o mal, em cada contorno de sua atmosfera de desejos
Eis a mulher flor que semeia a semente da paixão
Exalando seu cheiro pelo ar.
E em cada beijo seu, colher a fruta já madura da ilusão
Com sua polpa do doce veneno da paixão.


Lima de Vasconcelos

Nenhum comentário:

Postar um comentário